Tecnologia

Por que o X, antigo Twitter, não decolou com Elon Musk?

Muitos usuários deixaram a plataforma devido a preocupações com o discurso de ódio

Musk comprou a plataforma de mídia social por US$ 44 bilhões em outubro de 2022 (AFP/AFP)

Musk comprou a plataforma de mídia social por US$ 44 bilhões em outubro de 2022 (AFP/AFP)

Publicado em 10 de julho de 2024 às 08h25.

Desde que o antigo Twitter, agora X, foi comprado por Elon Musk no final de 2022, muito se comentou sobre qual seria o futuro da plataforma, marcada por tratar de alguns dos assuntos mais quentes do momento ou simplesmente jogando luz em pautas de interesse apenas no ambiente digital - as chamadas trends.

De acordo com números divulgados pelo Financial Times, o X disse que seu número de usuários ativos diários globais foi de 251 milhões no segundo trimestre deste ano – apenas 1,6% acima do que era há um ano.

Antes de Musk comprar a plataforma de mídia social por US$ 44 bilhões em outubro de 2022, o Twitter havia experimentado um crescimento de dois dígitos ano a ano, incluindo um crescimento de 33,8% no segundo trimestre de 2022.

O X disse na terça-feira que a plataforma teve cerca de 570 milhões de usuários ativos mensais durante o segundo trimestre – um aumento de 6% ano a ano.

Muitos usuários deixaram a plataforma devido a preocupações com o discurso de ódio desde a aquisição de Musk, que pregou uma "liberdade total" na rede social sem muito se importar com a moderação do conteúdo.

Isso, combinado com a luta de Musk com grandes anunciantes, incluindo Walmart e Disney, fez com que o valor da empresa caísse 71,5% desde a aquisição de Musk.

Em novembro de 2023, o X valia US$ 12,5 bilhões, de acordo com dados obtidos pelo Axios. Meses antes, um memorando vazado avaliou o X em US$ 19 bilhões – ou menos da metade do que ele pagou por ele em 2022. Analistas disseram que X está ficando para trás em relação a seus rivais, e os usuários ativos diários na plataforma caíram 23% de outubro de 2022 a março deste ano.

A plataforma rival da Meta, Threads, atingiu 175 milhões de usuários ativos mensais em seu primeiro ano, segundo o presidente-executivo Mark Zuckerberg. Em abril, o Threads contabilizou 28 milhões de usuários ativos diariamente, superando o X, que tinha 22 milhões.

O Threads, que completou um ano na semana passada, foi o aplicativo de crescimento mais rápido e contou com 100 milhões de inscrições na primeira semana. No entanto, o uso acabou caindo, e Zuckerberg disse em uma teleconferência em fevereiro que a plataforma “[explodiu] antes de estarmos prontos para isso”.

Acompanhe tudo sobre:elon-muskTwitter

Mais de Tecnologia

CEO do Spotify confirma que assinatura "deluxe" com áudio de alta fidelidade chegará em breve

CrowdStrike: o bug em mecanismo de segurança que causou o apagão cibernético

Apple TV+ faz em um mês audiência que a Netflix faz em um dia

Alphabet registra lucro líquido de US$ 23,6 bilhões no segundo trimestre de 2024

Mais na Exame