Negócios

Apresentado por CIDADE CENTER NORTE

Uma nova zona norte: empreendimentos da Cidade Center Norte se tornam primeiros do mundo com Selo B

Expo Center Norte e shoppings Lar Center e Center Norte conquistam certificação inédita, reforçando o compromisso com a circularidade e o bem-estar de comunidades no entorno

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 10 de julho de 2024 às 15h00.

Última atualização em 10 de julho de 2024 às 15h04.

Tudo sobrebranded-content
Saiba mais
yt thumbnail

Se um drone capturasse um retrato da cidade de São Paulo, destacaria imediatamente uma grande área verde que atrairia olhares dos espectadores. Essa região está situada na zona norte de São Paulo, área reconhecida como a mais arborizada da cidade, graças a pontos primordiais como o Parque da Cantareira, Horto Florestal e o Parque Estadual Alberto Löfgren.

Esses espaços não só ajudam a proporcionar uma qualidade ambiental diferenciada aos moradores da região, mas também, são exemplos de como é possível manter elevados padrões de vida em meio a uma metrópole.

Paralelo a isso, sob uma perspectiva de negócios, um estudo recente realizado pela B3, Bolsa de Valores de São Paulo, indica que, cada dia mais, empresas que valorizam critérios e que geram um impacto positivo no meio ambiente apresentam resultados financeiros superiores e de maior atratividade para investidores. Não à toa, neste contexto, empreendimentos da zona norte são pioneiros na adoção de ações mais responsáveis.

Um dos exemplos vem da Cidade Center Norte, composta pelos shoppings Center Norte e Lar Center e pelo Expo Center Norte, centro de exposições e convenções, que nos últimos anos deu passos importantes para a conscientização sobre as chamadas práticas ESG (Ambientais, Sociais e de Governança) e acabam de se tornar os primeiros de seus setores a nível mundial a receberem uma certificação pelo Sistema B.

O que é uma Empresa B?  

O selo conquistado pela Cidade Center Norte reconhece as iniciativas bem-sucedidas de gestão socioambiental que vão até mesmo além das práticas ESG, reconhecendo também avanços nas áreas de governança, relação com trabalhadores, clientes, comunidade e meio ambiente.   

“Quando pensamos na sigla ESG, cada letra representa uma área delimitada, ou seja, meio ambiente, social e governança. Dentro do Sistema B, temos um olhar mais aprofundado para o tema, e quando ampliamos a lente social olhamos para além das três letras famosas: além da governança da empresa, olhamos para relação a boas práticas políticas com seus trabalhadores, para como elas se portam em relação à comunidade que elas relacionam, para o meio ambiente e para os seus clientes”, explica Rodrigo Gaspar, codiretor-executivo do Sistema B Brasil.

Pensar em outros temas, além dos já demandantes de mercado, provoca as empresas a pensarem fora da “casinha” e buscarem medidas de impacto positivo ainda mais eficientes. “O diferencial da nossa ferramenta é transcorrer por essas cinco áreas com uma linha muito didática, reflexiva, onde a empresa começa a trazer questionamentos que muitas vezes são impensáveis dentro de um modelo de negócios convencional”, afirma Gaspar.

A conquista inédita da Cidade Center Norte foi anunciada durante a 7ª Semana de Sustentabilidade, evento promovido pela companhia para conscientizar clientes, funcionários e lojistas, por meio de reflexões profundas, sobre como incluir iniciativas de impacto positivo dentro de seus negócios.

O evento contou com a presença de acionistas da família Baumgart, donos também do Novotel Center Norte e da Vedacit. No palco, a empresária e conselheira Rachel Maia, o jornalista Caco Barcellos e Gabriela Baumgart, presidente do conselho, discutiram a importância da colaboração e de colocar as pessoas no centro da transformação.

Para Gaspar, a conquista da Cidade Center Norte se deu por diversas evoluções do grupo, entre elas, por um excelente modelo de negócio de impacto positivo na área de gestão de resíduos sólidos que vem sendo feita, refletindo o impacto positivo nas comunidades em seu entorno. “O grupo conseguiu provar, por meio de evidências e resultados sustentáveis, que a circularidade de resíduos é possível, mesmo quando se tem uma estrutura de grande porte”, completa o codiretor-executivo do Sistema B Brasil.   

Uma jornada além do selo   

Essa não é a primeira conquista da Cidade Center Norte em sua jornada de responsabilidade social e sustentabilidade. Além do Selo B, o grupo recebeu reconhecimento pelo segundo ano consecutivo pelo Great Place to Work (GPTW), certificação internacional concedida a empresas que se destacam por oferecer um ambiente de trabalho positivo e que valoriza seus colaboradores.

Além de se destacar como uma empresa transformadora e inspiradora para os seus funcionários, a jornada em busca da certificação B trouxe melhorias e consolidou o olhar da companhia para todos os atributos que a sustentabilidade exige, como a adesão ao Pacto Global da ONU, reforçando seu compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que abordam, em 17 tópicos, os principais desafios de desenvolvimento enfrentados por pessoas no Brasil e no mundo. 

Ainda como parte da evolução nesta trajetória, a Cidade Center Norte estabeleceu, dentro do seu planejamento estratégico de sustentabilidade, metas para curto, médio e longo prazos para perseguir até 2025. Dividido entre sete temas prioritários, destaque para sensibilizar 100% dos colaboradores quanto a práticas ESG e a adoção de modelo de serviços circulares para exposições e eventos.   

“Assumir a jornada em busca da certificação B nos permitiu alcançar resultados sustentáveis, melhorar processos internos e implementar medidas que visam desde a gestão eficaz dos resíduos aqui gerados, priorizar o cuidado com seus colaboradores e parceiros, além de reduzir a emissão de gases poluentes, promovendo uma gestão ética, transparente, inclusiva e diversa, beneficiando assim todo o ecossistema que engloba a Cidade Center Norte”, diz Daniela Pavan, gerente-executiva de sustentabilidade da Cidade Center Norte e do Instituto Center Norte – organização sem fins lucrativos criada pelo grupo em 2002 com a finalidade de ajudar a melhorar a qualidade de vida e a renda dos moradores da zona norte de São Paulo.  

 “Acreditamos muito na força e na importância da articulação de diversos públicos, sejam empresas privadas, sejam públicas, sejam pessoas físicas, em prol de uma causa maior. Unir forças com os nossos colaboradores, acionistas e parceiros estratégicos nos levaram a conquistar os mais variados feitos, como zerar o envio de resíduos para aterros sanitários e criar projetos 360° de reutilização de resíduos orgânicos nas praças de alimentação de shoppings para compostagem e cultivo de alimentos. Além destas conquistas práticas, a certificação B é a tradução de como podemos inspirar todos os envolvidos no segmento de varejo e eventos a também tornar os seus negócios cada vez mais sustentáveis”, diz a executiva. 

Eventos verdes   

O setor de eventos gera um grande volume de resíduos. Preocupado com isso, o Expo Center Norte decidiu criar uma logística focada na economia circular e na melhor gestão do lixo gerado em suas feiras e eventos.
A parceria com expositores e promotores de eventos garantiu ótimos resultados para a companhia e fez com que o Expo zerasse os resíduos destinados a aterros sanitários, promovendo a circularidade e evitando impactos ambientais negativos. 

Outro exemplo de iniciativa implementada foi o retrofit feito nos pavilhões, onde foram instaladas estruturas aéreas capazes de otimizar a produção e custos na montagem de eventos e feiras. Por meio delas, ao invés de usar materiais autoportantes como madeira ou papelão que seriam descartados posteriormente, tornou-se possível suspender a estrutura inteira e utilizar menos matéria-prima ou ainda optar por materiais reutilizáveis. 

A conquista do selo, segundo Paulo Ventura, diretor-executivo do Expo Center Norte, dá transparência às iniciativas e gera credibilidade aos processos internos da organização.   

“A certificação traz à tona as diversas ações que estamos realizando há um bom tempo e que agora se tornam mais visíveis para a sociedade como um todo. O mais importante é que isso nos enche de orgulho e fortalece, ao mesmo tempo, o nosso negócio e o senso de pertencimento,” explica o diretor.

Shoppings mais sustentáveis  

Tanto o mercado de shoppings como o de eventos estão inseridos em um grande desafio global. Por exemplo, no Brasil, atualmente apenas 4% dos mais de 27 milhões de toneladas anuais de resíduos recicláveis são enviados para reciclagem. Este cenário abrange tanto pessoas físicas quanto grandes operações, como no caso de shoppings, que, devido ao fluxo de pessoas, geram toneladas de resíduos orgânicos e recicláveis, principalmente nas praças de alimentação.

Projetando medidas de impacto positivo, os shoppings Lar Center e Center Norte investem em campanhas de conscientização envolvendo clientes, lojistas e fornecedores, a fim de engajá-los na causa. Como resultado desta sensibilização, restaurantes de ambos os empreendimentos já separam, dentro de suas cozinhas, os rejeitos entre orgânicos e recicláveis. Além dos próprios restaurantes, o grupo realiza também, por meio de parceiros, a triagem das quase 11 toneladas de restos de alimentos descartados nas praças de alimentação, encaminhando os rejeitos orgânicos para compostagem. O adubo proveniente deste processo resulta na horta orgânica, com produtos que são doados para parceiros, que produzem refeições para pessoas em vulnerabilidade social da comunidade local. Em 2023, houve um aumento de 116% no número de pessoas impactadas positivamente por meio desta iniciativa. Já os materiais recicláveis que seguem para a Central de Gerenciamento de Resíduos (CGR) são devidamente separados e encaminhados para a reciclagem, eliminando a necessidade de destinação para aterros sanitários, inclusive nos shoppings.    

“Todas as nossas ações implementadas nos shoppings buscam alcançar sempre resultados sustentáveis e ressignificar os impactos do nosso negócio para a sociedade, gerar empregos e potencializar, ainda mais, os impactos positivos”, explica Guilherme Marini, diretor-executivo dos shoppings Center Norte e Lar Center.  

Engajando a comunidade   

Dentre os temas mapeados pela Cidade Center Norte para a elaboração de suas metas, está contribuir para o desenvolvimento do seu entorno, sobretudo estimular a empregabilidade e atividades sociais da região. Por meio do Instituto Center Norte, a companhia investe em atividades sociais, culturais, esportivas, educacionais e de capacitação profissional, pois acredita no poder destas ferramentas para o combate à vulnerabilidade social.

Um exemplo prático de iniciativa é o Polo Social Zaki, em que a empresa investiu mais de R$ 1 milhão para inaugurar o espaço e promover oportunidades como atividades sociais, culturais, esportivas e educacionais para a comunidade da Zaki Narchi. Ainda, a Cidade Center Norte criou um hub de empregabilidade, que promoveu mais de 235 vagas de emprego; e o projeto Farol Norte, que capacitou 140 moradores em diversas áreas, incluindo varejo e construção civil.  

“Nosso objetivo é dar oportunidade para as pessoas, além de engajar, mobilizar e incentivar todos os envolvidos a se unirem a nós em prol de um propósito maior, que inclui reduzir desigualdades e ampliar oportunidades”, completa Daniela.   

Acompanhe tudo sobre:branded-content

Mais de Negócios

Sentimentos em dados: como a IA pode ajudar a entender e atender clientes?

Como formar líderes orientados ao propósito

Em Nova York, um musical que já faturou R$ 1 bilhão é a chave para retomada da Broadway

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Mais na Exame