Mundo

Terceiro caso humano de peste bubônica é confirmado nos Estados Unidos

Um morador foi infectado pela bactéria Yersinia pestis, causadora da doença, segundo as autoridades

EFE
EFE

Agência de Notícias

Publicado em 10 de julho de 2024 às 17h31.

Tudo sobreEstados Unidos (EUA)
Saiba mais

As autoridades sanitárias do Colorado confirmaram um caso de contágio humano de peste bubônica no condado de Pueblo, no sul do estado, o terceiro desta doença em 2024 depois dos detectados em fevereiro em Oregon e no Novo México em março.

Segundo o Departamento de Saúde Pública e Meio Ambiente do condado de Pueblo (PDPHE), um morador foi infectado pela bactéria Yersinia pestis, causadora da doença, sem que se saiba o local ou modo de infecção.

O paciente havia sido hospitalizado na semana passada e desde então seu estado melhorou, segundo Trysten García, porta-voz do PDPHE.

Todos os anos, em média, apenas sete casos de peste bubônica são detectados nos EUA. O último surto no país ocorreu em Los Angeles, na década de 1920, com cerca de 30 mortes confirmadas, segundo os Centros de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês).

Como a peste bubônica (conhecida como praga) é endêmica tanto no sul do Colorado quanto em grandes áreas do oeste do país (Arizona, Califórnia, Nevada, Novo México e Oregon), não foi possível determinar como ocorreu o contágio, embora a forma mais comum seja uma pulga infectada saltar de um roedor para um humano.

No entanto, de acordo com o CDC, a infecção também pode ocorrer se uma pessoa simplesmente tocar a pele de um animal infectado (geralmente ratos ou cães-da-pradaria). Além disso, os humanos podem infectar outros humanos ao tossir.

O PDPHE pediu que os donos de animais de estimação não os deixassem caçar roedores ou passear por colônias de cães-da-pradaria.

Além disso, advertiu que as coleiras contra pulgas não são necessariamente eficazes contra pulgas infestadas de peste, por isso sugeriu que as pessoas evitassem dormir ao lado de seus animais de estimação.

“A peste pode ser tratada com sucesso com antibióticos, mas uma pessoa infectada deve ser tratada imediatamente para evitar complicações graves ou morte”, disse Alicia Solís, diretora do PDPHE.

Não existe vacina contra esta doença, que pode ser fatal (como aconteceu com a pessoa infectada no Novo México) se não for tratada a tempo, pois a bactéria causadora da peste pode infectar os pulmões (peste pneumônica) ou o sangue.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), dependendo do país e de outros fatores, 30% a 60% dos infectados pela peste bubônica morrem.

Os sintomas podem se desenvolver após um período de incubação que dura entre um dia e uma semana, segundo a OMS. Esses sintomas são febre repentina e calafrios, fortes dores de cabeça, dores musculares, náuseas e vômitos, além de inflamação dos gânglios linfáticos.

Acompanhe tudo sobre:DoençasEstados Unidos (EUA)OMS (Organização Mundial da Saúde)

Mais de Mundo

Novo premiê britânico promete a Zelensky o apoio do Reino Unido

Caminho para entrada da Ucrânia na Otan é 'irreversível', afirma secretário de Estado dos EUA

Trump faz mistério sobre escolha de seu candidato a vice; veja lista

George Clooney pede que Biden se retire da corrida presidencial nos EUA

Mais na Exame