Mundo

Reino Unido: Starmer nomeia equipe formada durante anos de oposição para os principais ministérios

David Lammy ficará encarregado das Relações Exteriores, John Healey chefiará a Defesa, Yvette Cooper assumirá o cargo de ministra do Interior

Keir Starmer, primeiro-ministro do Reino Unido (HENRY NICHOLLS/AFP)

Keir Starmer, primeiro-ministro do Reino Unido (HENRY NICHOLLS/AFP)

EFE
EFE

Agência de Notícias

Publicado em 5 de julho de 2024 às 15h14.

Última atualização em 5 de julho de 2024 às 15h56.

Tudo sobreReino Unido
Saiba mais

O primeiro-ministro do Reino Unido, Keir Starmer, será rodeado pelos pesos-pesados de sua equipe enquanto estava na oposição, agora como os principais ministros do governo trabalhista, com Angela Rayner como "número 2" e Rachel Reeves como ministra da Economia.

Enquanto isso, David Lammy ficará encarregado das Relações Exteriores, John Healey chefiará a Defesa, Yvette Cooper assumirá o cargo de ministra do Interior e o coordenador de campanha do Partido Trabalhista, Pat McFadden, chefiará o Gabinete do Governo como chanceler do Ducado de Lancaster.

Com grande rapidez após chegar a Downing Street, Starmer convocou a equipe que havia formado durante seus anos na oposição para ocupar as várias pastas e começar a trabalhar desde o primeiro dia, como prometeu durante a campanha eleitoral.

A influente Rayner, da ala esquerdista do Partido Trabalhista, já era a vice de Starmer na oposição, em um cargo para o qual foi escolhida pelos membros do partido e não diretamente por seu líder.

Também era amplamente aguardada a nomeação de Reeves, uma economista ortodoxa e rigorosa no âmbito fiscal que trabalhou no Banco da Inglaterra.

Reeves admitiu nesta sexta-feira, após assumir a Economia, que sua missão será alcançar o crescimento econômico e reconheceu as dificuldades econômicas que o país enfrenta.

Lammy, membro do Parlamento desde 2000 e, desde 2021, porta-voz das Relações Exteriores da oposição, assume a responsabilidade pela política externa do país com desafios pela frente, como a guerra na Ucrânia e o conflito no Oriente Médio.

Crítico do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Lammy tem a missão de resolver algumas das questões pendentes do governo conservador anterior, como a conclusão do acordo sobre o lugar de Gibraltar na União Europeia (UE) após o Brexit.

Outros pesos-pesados do novo governo — Cooper e Healey — chegam aos seus respectivos ministérios com questões delicadas, como novas medidas para combater a imigração ilegal, no caso de Cooper, e o relacionamento do Reino Unido com a Otan, no caso de Healey.

Enquanto isso, McFadden emerge como um importante coordenador do Gabinete, onde ele terá de lubrificar as engrenagens do governo da mesma forma que fez durante a campanha.

Starmer assumiu o novo governo trabalhista nesta sexta-feira, após a vitória esmagadora de seu partido nas eleições de quinta-feira, que pôs fim a 14 anos de governos conservadores.

Acompanhe tudo sobre:Reino Unido

Mais de Mundo

'A defesa da democracia é mais importante do que qualquer título', diz Biden em discurso

Governo Lula se diz irritado com falas de Maduro, mas evita responder declarações

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Em discurso a irmandade negra, Kamala pede ajuda para registrar eleitores e mobilizar base a votar

Mais na Exame