Mundo

Presidente da Libéria corta o próprio salário em 40%

O atual presidente do país afirmou em fevereiro que seu salário anual era de US$ 13.400. Com a redução, o montante irá ser cortado para US$ 8.000

O atual presidente da Libéria, Joseph Boakai (John Moore/Getty Images)

O atual presidente da Libéria, Joseph Boakai (John Moore/Getty Images)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 9 de julho de 2024 às 16h27.

O atual presidente da Libéria, Joseph Boakai, anunciou que irá reduzir seu salário em 40%. De acordo com o gabinete do chefe de Estado, ele espera que corte estabeleça um precedente para uma "governança responsável", além de demonstrar "solidariedade" aos liberianos.

A Libéria possui o 14º menor Produto Interno Bruto (PIB) per capita do mundo, segundo o relatório Perspectivas da Economia Mundial, do Fundo Monetário Internacional (FMI), e os salários de governantes vêm sendo questionados, diante do aumento das reclamações de liberianos sobre o aumento do custo de vida.

O atual presidente do país afirmou em fevereiro que seu salário anual era de US$ 13.400. Com a redução, o montante irá ser cortado para US$ 8.000.

Boakai não foi o único presidente da Libéria que promoveu uma redução como esta. George Weah, ganhador da Ballon D'or e ex-presidente do país, cortou o próprio salário em 25% em 2018.

Apesar da atitude ter sido elogiada por uma parte da população do país, outras pessoas apontaram que, mesmo com o corte no salário, Boakai já recebe inúmeros benefícios por ser o presidente, como cobertura médica. De acordo com a BBC, o orçamento do gabinete presidencial na Libéria é de quase US$ 3 milhões este ano.

Quem é Joseph Boakai?

Boakai foi eleito em novembro do ano passado, após derrotar o então presidente e ex-astro do futebol, George Weah, em uma das disputas eleitorais mais acirradas dentro do pequeno país africano. No final, Boakai conseguiu 50,64% dos votos, enquanto Weah garantiu 49,36%.

Boakai também atuou por 12 anos como vice-presidente de Ellen Johnson Sirleaf, a primeira mulher a ser eleita chefe de estado no continente africano. Ele tomou posse do governo em 22 janeiro de 2024.

Acompanhe tudo sobre:Libéria

Mais de Mundo

'A defesa da democracia é mais importante do que qualquer título', diz Biden em discurso

Governo Lula se diz irritado com falas de Maduro, mas evita responder declarações

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Em discurso a irmandade negra, Kamala pede ajuda para registrar eleitores e mobilizar base a votar

Mais na Exame