Mundo

Milhares de pessoas são retiradas por incêndio fora de controle na Califórnia; veja fotos

As chamas do incêndio Thompson consumiram mais de 1.200 hectares na região de Oroville, no condado Butte, no norte da Califórnia

Incêndio na Califórnia: Chamas consumiram mais de 1.200 hectares desde terça-feira (JOSH EDELSON/AFP)

Incêndio na Califórnia: Chamas consumiram mais de 1.200 hectares desde terça-feira (JOSH EDELSON/AFP)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 3 de julho de 2024 às 18h53.

Tudo sobreIncêndios
Saiba mais

Milhares de pessoas receberam ordens de retirada no norte da Califórnia devido a um incêndio voraz que avança sem controle em meio a uma perigosa onda de calor no oeste dos Estados Unidos, que mantém a região sob alerta. O incêndio Thompson consumiu mais de 1.200 hectares desde que começou na terça-feira, de acordo com dados oficiais.

As autoridades emitiram ordens de evacuação para cerca de 13.000 pessoas no condado de Butte. As chamas se propagam principalmente ao norte da comunidade de Oroville, em Butte, com cerca de 20.000 moradores.

Região atingida

A localidade está aproximadamente 110 quilômetros ao norte de Sacramento, a capital da Califórnia, e a apenas 38 de Paradise, comunidade arrasada em 2018 pelo devastador incêndio Camp, o mais letal da história do estado, com cerca de 85 mortes.

"O condado [Butte] está sob alerta vermelho desde ontem à noite e se manterá assim até a noite de amanhã," informou nesta quarta-feira (3) o chefe dos bombeiros na localidade, Garrett Sjolund.

FAB faz quatro voos hoje para o Pantanal para combate às queimadas

Perigos adicionais

Uma preocupação adicional para as autoridades é a festividade de 4 de julho, Dia da Independência dos Estados Unidos, no qual, por tradição, se utilizam fogos de artifício. "Esta é uma temporada ruim de incêndios," disse o xerife de Butte, Kory Honea.

"A última coisa que precisamos é alguém que comprou fogos de artifício saindo para fazer uma estupidez. Não sejam idiotas!" disse Honea, lembrando que a região norte enfrentou quatro incêndios em duas semanas.

Estado de emergência e esforços de combate

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, declarou o estado de emergência. Cerca de 400 bombeiros combatem as chamas por terra com máquinas pesadas, e por ar com aviões e helicópteros.

Sjolund informou que equipes e pessoal estão chegando de outras regiões para reforçar as operações. O serviço de meteorologia de San Francisco emitiu alertas para diversas localidades do norte do estado devido à onda de calor arrasadora.

"Uma situação excepcionalmente perigosa avança na medida em que entramos em uma onda de calor potencialmente letal, histórica e prolongada," advertiu o departamento na terça-feira.

Condições climáticas

"As condições em nosso condado neste verão [hemisfério norte] são muito diferentes das que vivenciamos nos dois últimos. O material combustível é bastante denso. O mato está seco, e como vocês podem ver, qualquer vento vai espalhar um incêndio muito rapidamente," disse Sjolund.

A temporada de incêndios começou precocemente este ano na Califórnia e já consumiu mais de 17 mil hectares. Especialistas consideram isso um prenúncio do que está por vir no estado mais populoso dos Estados Unidos, depois de dois anos mais úmidos. Com o verão apenas começando, várias regiões do oeste do país já renovaram os recordes de calor com temperaturas infernais, muito acima dos 40°C.

Acompanhe tudo sobre:IncêndiosEstados Unidos (EUA)

Mais de Mundo

Trump terá força para pacificar o mundo e conter Rússia, diz 'pai' do Brexit à EXAME

Eleição nos EUA: Trump vai inflamar ou moderar o discurso na convenção republicana?

Biden continua apresentando sintomas leves de covid-19, diz médico do presidente

Aliada de Macron é eleita presidente do Parlamento em 1º teste de forças após as eleições na França

Mais na Exame