Mundo

Israel ordena novas evacuações em todos os bairros da Cidade de Gaza

Avichay Adraee, porta-voz em árabe do Exército israelense, disse para habitante irem para as cidades de Deir al Balah e Zawayda

Crianças palestinas comem pão achatado em cima de um veículo carregado de pertences enquanto se preparam para fugir de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, em direção a uma área mais segura, em 12 de maio de 2024, em meio ao conflito em curso entre Israel e o grupo militante Hamas (Divulgação/AFP)

Crianças palestinas comem pão achatado em cima de um veículo carregado de pertences enquanto se preparam para fugir de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, em direção a uma área mais segura, em 12 de maio de 2024, em meio ao conflito em curso entre Israel e o grupo militante Hamas (Divulgação/AFP)

EFE
EFE

Agência de Notícias

Publicado em 10 de julho de 2024 às 10h44.

Última atualização em 10 de julho de 2024 às 10h56.

O Exército de Israel ordenou mais uma vez que os moradores da Cidade de Gaza evacuassem para o centro da Faixa, onde ontem morreram 30 pessoas devido aos bombardeios israelenses, enquanto os combates em todo o enclave deixaram mais de 50 mortos nas últimas 24 horas.

“A Cidade de Gaza continuará a ser uma zona de combate perigosa!”, alertou na rede social X o porta-voz em árabe do Exército israelense, Avichay Adraee, que fez um apelo aos habitantes da capital de Gaza para que se desloquem “rapidamente” para a cidade de Deir al Balah, no centro da Faixa, e para a vizinha Zawayda.

Israel cerca a Cidade de Gaza desde o início da semana e na segunda-feira já tinha ordenado aos habitantes de vários bairros que se deslocassem para Deir al Balah, onde nessa mesma noite lançou bombardeios que deixaram pelo menos dois mortos: uma mãe e a sua filha.

Presidente israelense defende acordo com Hamas que liberte reféns em Gaza

A ordem de evacuação desta quarta-feira vale para todos os bairros da capital de Gaza, onde estão centenas de milhares de palestinos.

O serviço de emergência do Crescente Vermelho Palestino relatou nesta quarta-feira que “as equipes da sala de operações recebem dezenas de chamadas de ajuda humanitária da Cidade de Gaza sem que as equipes de ambulância consigam atendê-las devido ao perigo das áreas-alvo e à intensidade dos bombardeios ali”.

Desde que o Exército reforçou as suas operações na capital de Gaza e os hospitais da área foram evacuados, todo o norte da Faixa está praticamente sem possibilidade de prestar cuidados médicos.

Enquanto isso, a ofensiva de Israel continua em toda a Faixa, inclusive nos campos de refugiados no centro, onde 30 mortes foram registradas ontem, e no sul, onde pelo menos 27 pessoas morreram em uma escola em Khan Younis após um bombardeio israelense lançado ontem à noite.

Apenas nas últimas 24 horas, foram registradas 52 mortes e 208 feridos em consequência destes ataques, informou o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo grupo islâmico Hamas.

Dessa forma, desde o início da guerra, há nove meses, o saldo total da tragédia está agora em 38.295 mortos, 88.241 feridos e milhares de desaparecidos sob os escombros na devastada Faixa de Gaza.

“A ocupação (israelense) avança para deslocar a população do norte de Gaza para o sul, ignorando a exigência do regresso dos deslocados” aos seus locais de residência para conseguir um acordo de trégua, afirmou nesta quarta-feira Hosam Badran, membro do gabinete político do Hamas.

Israel não leva a sério a questão de chegar a um acordo de cessar-fogo em Gaza”, lamentou.

Os Estados Unidos, o Catar e o Egito estão mediando entre Israel e o Hamas para alcançar um cessar-fogo após nove meses de guerra que permitirá o resgate dos 116 reféns israelenses que ainda estão na Faixa, bem como a entrada de ajuda humanitária no enclave palestino devastado.

Acompanhe tudo sobre:Israel

Mais de Mundo

'A defesa da democracia é mais importante do que qualquer título', diz Biden em discurso

Governo Lula se diz irritado com falas de Maduro, mas evita responder declarações

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Em discurso a irmandade negra, Kamala pede ajuda para registrar eleitores e mobilizar base a votar

Mais na Exame