Mundo

Governo argentino avisa Itamaraty sobre visita ao Brasil sem encontro com Lula

Presidente argentino participará de encontro de conservadores em Santa Catarina

Javier Milei, presidente da Argentina

Javier Milei, presidente da Argentina

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 4 de julho de 2024 às 14h37.

Tudo sobreArgentina
Saiba mais

O governo brasileiro foi informado oficialmente, na manhã desta quinta-feira, sobre a visita do presidente Javier Milei a Santa Catarina, onde participará de um fórum de conservadores. Não há previsão de um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De forma geral, quando um chefe de Estado vem ao Brasil, é encaminhada uma nota verbal, contendo dados como a rota, o plano de voo e autorização para sobrevoo no espaço aéreo brasileiro e pouso.

A informação foi confirmada pelo Itamaraty e a Embaixada da Argentina em Brasília. A previsão é que Milei chegue ao Brasil em um voo da Força Aérea de seu país na noite de sábado e retorne e a Buenos Aires no domingo, também no período da noite.

Javier Milei fará uma palestra uma palestra durante a Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), um fórum de direita que será realizado no Balneário Camboriú. Será a primeira visita de Milei como mandatário de seu país e um de seus compromissos será um encontro com o ex-presidente Jair Bolsonaro.

Alegando problema de agenda, Milei não participará da Cúpula do Mercosul, que acontecerá na segunda-feira, em Assunção, Paraguai. Enviará a chanceler, Diana Mondino. No governo brasileiro, a ausência do presidente argentino do evento é avaliada como lamentável.

Além disso, Milei tem atacado o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, reafirmando que o considera um "corrupto". Lula tem sido aconselhado a não subir o tom, para evitar a escalada da crise entre os dois.

Acompanhe tudo sobre:Javier MileiItamaratyLuiz Inácio Lula da SilvaGoverno LulaMercosulArgentina

Mais de Mundo

Eleitores de Trump adotam visual com orelhas enfaixadas em convenção republicana

Republicanos convocam chefe do Serviço Secreto para depor sobre ataque a Trump

Eleições Venezuela: Edmundo González tem 59% das intenções de voto contra 24,6% de Nicolás Maduro

Eleições Venezuela: TSE irá mandar observadores para acompanhar votações

Mais na Exame