Mundo

Eleições no Reino Unido: trabalhistas tiveram vitória esmagadora, aponta boca-de-urna

Keir Starmer será o novo líder do país se os resultados se confirmarem, apuração segue durante a noite

Keir Starmer, líder do Partido Trabalhista, durante comício  (Andy Buchanan/AFP)

Keir Starmer, líder do Partido Trabalhista, durante comício (Andy Buchanan/AFP)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 4 de julho de 2024 às 18h04.

Última atualização em 4 de julho de 2024 às 18h11.

O Partido Trabalhista deve voltar ao governo do Reino Unido após 14 anos e ser o vencedor das eleições desta quinta, 4, mostram dados das pesquisas de boca-de-urna.

O levantamento feito com eleitores no dia da votação mostram que os Trabalhistas devem levar 410 das 650 cadeiras do Parlamento, 209 a mais do que possuem hoje. Os Conservadores teriam 131 assentos, queda de 241 posições, de acordo com a BBC.

A boca-de-urna aponta ainda que os liberais-democratas devem levar 61 cadeiras, o Reform UK, 13, o SNP (Partido Nacional Escocês), 10, e outros partidos ficarão com os 25 assentos restantes.

As urnas foram fechadas às 22h na hora local (18h em Brasília). Os resultados da apuração serão divulgados ao longo das próximas horas. A expectativa é que o vencedor seja conhecido até sexta pela manhã.

Caso a vitória se confirme, o novo premiê do país será Keir Starmer, 61, que fez carreira como advogado de direitos humanos.

A provável queda do Partido Conservador, no governo desde 2010, ocorre após a realização do brexit, que retirou o país da União Europeia. A medida foi aprovada em 2016, mas foram quatro anos de disputas e confusão até ela ser efetivada, em 2020, pouco antes de a pandemia começar.

A combinação de brexit e pandemia trouxe danos severos para a economia britânica. A inflação chegou a 11% no fim de 2022, e hoje está na faixa dos 2%.

O atual premiê, Rishi Sunak, convocou eleições três meses antes do esperado para tentar se manter no cargo com mais força, uma manobra possível, no sistema parlamentarista, mas que deve falhar.

Sunak também está enfraquecido pela divisão do eleitorado de direita. Muitos britânicos tradicionalmente conservadores optarão pelo partido 'Reform UK', de extrema direita, liderada por Nigel Farage, um dos promotores do Brexit.

Como é a votação no Reino Unido

A votação define as 650 cadeiras da Câmara dos Comuns: 543 eleitas na Inglaterra, 57 na Escócia, 32 em Gales e 18 na Irlanda do Norte. No total, 4.515 candidatos disputarão as eleições, um recorde.

Os parlamentares são eleitos para um mandato de cinco anos. Em cada circunscrição eleitoral, o candidato que recebe o maior número de votos é declarado vencedor, mesmo que não atinja mais de 50%. Este método de votação favorece os partidos majoritários, neste caso os conservadores e os trabalhistas.

O primeiro-ministro é nomeado pelo rei. Ele pode ser o líder do partido mais votado, caso obtenha maioria absoluta, ou da principal legenda da coalizão formada, caso a maioria absoluta não seja alcançada. Para obter a maioria absoluta, um partido deve conquistar ao menos 326 cadeiras.

Acompanhe tudo sobre:Reino UnidoEleições

Mais de Mundo

Legisladores democratas aumentam pressão para que Biden desista da reeleição

Entenda como seria o processo para substituir Joe Biden como candidato democrata

Chefe de campanha admite que Biden perdeu apoio, mas que continuará na disputa eleitoral

Biden anuncia que retomará seus eventos de campanha na próxima semana

Mais na Exame