Mundo

Eleições britânicas: projeção prevê vitória histórica do Partido Trabalhista no Reino Unido

As eleições gerais no Reino Unido em 2024 prometem mudanças significativas na liderança política do país. Saiba quem está na disputa e o que está em jogo

Partido Trabalhista, de Keir Starmer, é favorito para ganhar a eleição no Reino Unido. (Getty Images/Getty Images)

Partido Trabalhista, de Keir Starmer, é favorito para ganhar a eleição no Reino Unido. (Getty Images/Getty Images)

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 3 de julho de 2024 às 07h58.

O Reino Unido está se preparando para uma eleição geral decisiva em 2024, marcada para o dia 4 de julho. Esta votação pode encerrar uma era de 14 anos de governo conservador, com o Partido Trabalhista de Keir Starmer mantendo uma vantagem significativa nas pesquisas sobre o Partido Conservador de Rishi Sunak. As campanhas estão intensas e os eleitores ansiosos para decidir o futuro político do país. As informações são do The Guardian.

Rishi Sunak, atual primeiro-ministro, enfrenta o maior desafio de seu mandato ao convocar uma eleição antecipada. As pesquisas indicam que o Partido Conservador está consideravelmente atrás do Partido Trabalhista, e Sunak está lutando para reverter essa desvantagem. Keir Starmer, líder do Partido Trabalhista, tem uma grande chance de se tornar o próximo primeiro-ministro, trazendo uma mudança significativa na política britânica após anos de domínio conservador.

Conservadores em dificuldades

As eleições serão realizadas em 4 de julho de 2024, com os eleitores votando em cada um dos 650 distritos eleitorais do país para eleger seus representantes no Parlamento. O partido que conquistar a maioria dos assentos poderá formar o governo. Se nenhum partido alcançar a maioria, negociações para formar coalizões ou governos minoritários serão necessárias.

Caso não haja maioria, o vencedor precisa buscar apoio, governando como um governo minoritário. Theresa May fez isso em 2017, após uma eleição apertadíssima. David Cameron fez o mesmo, em 2010.

Os conservadores, que governam desde 2010, têm enfrentado dificuldades devido a uma série de escândalos e problemas econômicos. O "Partygate", que envolveu festas ilegais durante os lockdowns da COVID-19, e a curta e caótica liderança de Liz Truss, que durou apenas seis semanas, prejudicaram a imagem do partido. Sunak tem tentado mudar o foco para questões de migração e economia, mas enfrenta críticas contínuas.

Partidos e candidatos

Partido Trabalhista: Liderado por Keir Starmer, ex-advogado de direitos humanos e promotor, o partido tem mantido uma vantagem significativa nas pesquisas. Starmer prometeu mudanças no custo de vida e melhorias no Serviço Nacional de Saúde (NHS), buscando atrair eleitores descontentes com os anos de governo conservador.

Partido Conservador: Rishi Sunak, que assumiu após a saída tumultuada de Liz Truss, enfrenta um desafio difícil. Ele tem focado em políticas de migração e tentado convencer os eleitores de que a economia está se recuperando, apesar das dificuldades.

Outros Partidos: Nigel Farage, do Reform UK, e os centristas Liberal Democratas também estão na disputa, tentando capitalizar a insatisfação com os conservadores. O Partido Nacional Escocês (SNP) continua forte na Escócia, enquanto os Verdes buscam atrair jovens eleitores liberais.

Questões decisivas

A campanha tem sido marcada por debates intensos e polêmicas. Sunak e Starmer se enfrentaram em debates televisivos, discutindo sobre economia, saúde e migração. O Partido Trabalhista tem focado na promessa de mudança e prudência fiscal, enquanto Sunak tem tentado destacar a importância de controlar a migração e estabilizar a economia.

As questões decisivas incluem o custo de vida, o estado do NHS e a política de migração. O Partido Trabalhista tem criticado duramente os conservadores pelo aumento do custo de vida e pela gestão do NHS, enquanto Sunak tenta convencer os eleitores de que suas políticas de migração e economia são eficazes.

Expectativas e resultados

As pesquisas indicam que o Partido Trabalhista está a caminho de uma vitória confortável, com uma média de 20 pontos percentuais à frente dos conservadores. No entanto, a política britânica é notoriamente volátil, e resultados inesperados não podem ser descartados.

Após a votação em 4 de julho, a contagem dos votos começará imediatamente, com resultados preliminares esperados nas primeiras horas da manhã de sexta-feira, 5 de julho. A transferência de poder, se houver uma mudança na liderança, ocorrerá rapidamente, com o novo governo assumindo em algumas semanas.

Acompanhe tudo sobre:Reino UnidoEleições

Mais de Mundo

Governo Lula se diz irritado com falas de Maduro, mas evita responder declarações

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Em discurso a irmandade negra, Kamala pede ajuda para registrar eleitores e mobilizar base a votar

Grupo armado sequestra 13 pessoas perto da fronteira da Colômbia com a Venezuela

Mais na Exame