Mundo

Beryl já deixa um morto no Texas, 2 milhões sem energia e centenas de voos cancelados

Sudeste do estado foi atingido por furacão de categoria 1 na escala Saffir-Simpson

Furacão Beryl atinge os Estados Unidos nesta segunda-feira (Joe Raedle/AFP)

Furacão Beryl atinge os Estados Unidos nesta segunda-feira (Joe Raedle/AFP)

EFE
EFE

Agência de Notícias

Publicado em 8 de julho de 2024 às 14h27.

Última atualização em 8 de julho de 2024 às 14h42.

Tudo sobreMudanças climáticas
Saiba mais

A agora tempestade tropical Beryl provocou nesta segunda-feira a sua primeira vítima mortal no Texas, nos Estados Unidos, onde deixou mais de 2 milhões de lares sem eletricidade e provocou o cancelamento de centenas de voos na cidade de Houston.

Segundo relatou nas redes sociais o xerife do condado de Harris, Ed González, um homem morreu depois que uma árvore caiu no telhado de sua casa, localizada na cidade de Houston.

"O homem [de 53 anos] estava sentado em casa com a família, resistindo à tempestade. Um carvalho caiu no telhado e bateu nas vigas, a estrutura caiu sobre o homem. Mulher e filhos saíram ilesos", detalhou González na rede social X.

Beryl, que atingiu a costa dos EUA na manhã desta segunda-feira como um furacão de categoria 1 na escala Saffir-Simpson, causa fortes chuvas no sudeste do Texas, onde também são registradas fortes ventanias.

Segundo o site especializado PowerOutage, poucas horas depois de o olho de Beryl atingir a costa perto da cidade de Matagorda, mais de 2 milhões de casas e escritórios ficaram sem energia devido àquele que é o primeiro furacão a atingir solo americano na atual temporada no Atlântico.

Antes do meio-dia, 67% dos voos do Aeroporto Internacional George Bush, em Houston, tinham sido cancelados, assim como 50% dos voos do Aeroporto William P. Hobby, também nessa cidade, a quarta mais populosa dos EUA.

Depois de chegar ao continente por volta das 4h (horário local, 6h de Brasília), as primeiras imagens diurnas já mostravam ruas inundadas e destroços em cidades costeiras.

De acordo com um boletim do Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC), Beryl está avançando para o interior com ventos máximos sustentados de 110 km/h, em direção nordeste e a uma velocidade de 20 km/h.

A agora tempestade tropical continuará pelo Texas durante todo o dia de hoje e depois continuará ao longo do Vale do Mississippi na terça-feira e ao longo do Vale de Ohio na quarta-feira.

O olho de Beryl está 30 quilômetros a oeste-noroeste de Houston e o enfraquecimento contínuo é esperado à medida que seu centro se move para o interior, perdendo força até se tornar uma depressão tropical já na terça-feira.

Várias cidades do Texas estão sob alerta devido à tempestade que deverá ser produzida por Beryl, que poderá elevar o nível do mar em até 1,8 metro em cidades como Galveston e Freeport.

Antes de chegar aos Estados Unidos, Beryl atingiu há uma semana a categoria mais alta da escala Saffir-Simpson, 5, no Caribe, onde causou mortes e destruição, enquanto na manhã de sexta-feira chegou em Tulum, no México.

Na atual temporada de furacões na bacia do Atlântico, que começou em 1º de junho, três tempestades tropicais com nome se formaram até agora: Alberto, Beryl e Chris.

O Atlântico terá este ano uma temporada de furacões bem acima da média, com possibilidade de até 13 furacões, dos quais até sete podem ser de maior envergadura, segundo a Administração Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA).

A previsão adverte que durante este ano poderão se formar um total de entre 17 e 25 tempestades, ou seja, com ventos máximos sustentados acima dos 62 km/h.

Acompanhe tudo sobre:FuracõesMudanças climáticasEstados Unidos (EUA)

Mais de Mundo

Convenção Republicana: da Ilha da Fantasia direto para a Casa Branca

Delta e American Airlines retomam voos após apagão online global

OMS confirma detecção do vírus da poliomielite no sul e no centro de Gaza

Europa está em alerta vermelho por intensa onda de calor com incêndios e invasões de gafanhotos

Mais na Exame