Mercado imobiliário

As cidades mais caras que viraram 'impossíveis de morar'; veja lista

A Austrália é o único outro país, além dos EUA, a dominar a lista “impossível de morar”

Quem lidera a lista é Hong Kong, um dos grandes centros financeiros da Ásia (Vernon Yuen/NurPhoto/Getty Images)

Quem lidera a lista é Hong Kong, um dos grandes centros financeiros da Ásia (Vernon Yuen/NurPhoto/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 10 de julho de 2024 às 15h17.

Última atualização em 10 de julho de 2024 às 15h55.

Qualquer pessoa que esteja de olho no mercado imobiliário nos últimos 20 anos saberá que em muitos países, sobretudo nos Estados Unidos, tornou-se muito mais difícil comprar uma casa.

Mas um novo relatório resume o sentimento de muitos potenciais compradores ao criar uma categoria que rotula algumas grandes cidades como “impossíveis de morar”.

As cidades dos EUA na Costa Oeste e no Havai ocuparam cinco dos 10 locais mais inacessíveis, de acordo com o relatório anual Demographic International Housing Affordability, que acompanha os preços das casas há 20 anos. As informações foram citadas pela CNN.

Talvez sem surpresa, as cidades mais caras dos EUA para comprar casa estão na Califórnia, onde San José, Los Angeles, São Francisco e San Diego estão entre as 10 primeiras.

A capital havaiana Honolulu também é mencionada em sexto lugar entre 94 principais mercados pesquisados ​​em oito países.

A Austrália é o único outro país, além dos EUA, a dominar a lista “impossível de morar”, liderada por Sydney e pelas cidades do sul de Melbourne, em Victoria, e Adelaide, no sul da Austrália.

O curioso é que no topo da classificação global está Hong Kong, o centro financeiro asiático conhecido pelos seus pequenos apartamentos e rendas altíssimas. É também o único mercado chinês citado pelo relatório.

Motivos dos preços altos

O relatório atribui o aumento no preço dos imóveis à alta procura pelo home office durante a pandemia, sobretudo por casas fora dos grandes centros, mais espaçosas. Também atribui a subida dos preços das casas às políticas de utilização dos terrenos - um planeamento concebido para impedir a expansão urbana.

“A classe média está sitiada principalmente devido à escalada dos custos do terreno. À medida que o terreno foi 'racionado' num esforço para conter a expansão urbana, o excesso de procura sobre a oferta fez subir os preços”, afirma o relatório.

As 10 cidades "impossíveis de morar"

  1. Hong Kong
  2. Sydney
  3. Vancouver
  4. San Jose
  5. Los Angeles
  6. Honolulu
  7. Melbourne
  8. San Francisco/Adelaide
  9. San Diego
  10. Toronto
Acompanhe tudo sobre:Bolha imobiliáriaEstados Unidos (EUA)Hong KongAustráliaMercado imobiliário

Mais de Mercado imobiliário

Exclusivo: Mansão mais cara do Brasil vai virar empreendimento de até R$ 150 mil/m²

A mudança necessária nas LCIs para alavancar o financiamento habitacional, segundo a Abecip

O que é um flat? Vale a pena morar?

Como fazer o cálculo do reajuste do aluguel?

Mais na Exame