Future of Money

Worldcoin: projeto de Sam Altman avança na criação de blockchain próprio

Rede World Chain foi aberta para desenvolvedores enquanto usuários aguardam lançamento oficialmente do blockchain do projeto

Sam Altman é um dos responsáveis pelo Worldcoin (Chris Ratcliffe/Getty Images)

Sam Altman é um dos responsáveis pelo Worldcoin (Chris Ratcliffe/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 9 de julho de 2024 às 14h47.

O Worldcoin avançou nesta terça-feira, 9, no processo de lançamento de uma rede blockchain própria para seus usuários. A iniciativa é controlada pela empresa Tools for Humanity, que por sua vez tem como líderes Alex Blania e Sam Altman, atual CEO da OpenAI, a dona do ChatGPT.

Nesta semana, a Tools for Humanity anunciou que liberou o acesso de desenvolvedores à World Chain, que foi anunciada em abril deste ano como a nova rede do projeto. A ideia é que a rede dê mais eficiência e utilidade real aos projetos atualmente desenvolvidos pela empresa.

Os dados mais recentes divulgados pela Tools for Humanity apontam que o Worldcoin soma mais de 10 milhões de usuários e 75 milhões de transferências com a sua criptomoeda própria, a WLD, que também passará a ser hospedada na nova rede blockchain.

Com a abertura, os desenvolvedores poderão "construir, testar e enviar feedbacks" sobre a rede, de acordo com um comunicado enviado à imprensa. A rede será de segunda camada e está sendo criada por meio da tecnologia da rede Optimism, com ambas ligadas à Ethereum.

A expectativa atual da Tools for Humanity é de que a World Chain será lançada para o público até o fim do verão no Hemisfério Norte, ou seja, até o fim do inverno no Brasil. Ainda não há, porém, uma data exata para o lançamento do projeto ou de redes de teste públicas.

O que é o Worldcoin?

O Worldcoin foi lançado para o público em 2023 e tem como objetivo projeto criar uma identidade digital única global para facilitar a diferenciação entre humanos e robôs. A identidade é obtida após o usuário cadastrar sua íris a partir do escaneamento por um equipamento chamado Orb, recebendo criptomoedas em troca.

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

Por outro lado, o projeto tem enfrentado diversos problemas jurídicos nos diferentes países em que atua. É o caso de Portugal, que ordenou no fim de março a suspensão das operações do Worldcoin, incluindo o escaneamento pelos Orbs, no país, assim como Hong Kong.

O Worldcoin nega que tenha problemas no tratamento de dados e afirma que o registro de íris é imediatamente deletado e substituído pela World ID, uma espécie de identidade digital. Mesmo assim, o projeto tem enfrentado problemas e críticas por preocupações com a segurança dos dados dos usuários.

Acompanhe tudo sobre:Sam AltmanBlockchain

Mais de Future of Money

Kamala Harris pode ser 'muito mais receptiva' às criptomoedas que Biden, diz Mark Cuban

Presidente do Banco Central quer "superapp" de finanças integrado com inteligência artificial

Ferrari anuncia que vai aceitar pagamentos em criptomoedas na Europa

Worldcoin, projeto de Sam Altman, nega acusações de insider trading de criptomoeda própria

Mais na Exame